Concelho

Conheça um pouco da vida de Américo Amorim

 | 
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

Américo Ferreira Amorim faleceu no passado dia 13 de Julho. Um ano depois de ter abandonado funções executivas e de ter vencido a primeira batalha contra a morte em contexto hospitalar, o empresário feirense deixa para trás um legado assente no empreendedorismo e na liderança. O coração acabaria por lhe falhar na manhã de quinta-feira, em casa.

 

“O Rei da Cortiça”, como era apelidado, nasceu a 21 de Julho de 1934 em Mozelos, Santa Maria da Feira. Desde cedo participou nas tarefas agrícolas familiares, trabalhando também para o avô, numa fábrica de cortiça. Em 1953 viria a ficar órfão de pai e mãe, aos 19 anos. Na altura terá herdado cerca de 2,5% da Amorim & Irmãos (proporção distribuída de igual forma pelos restantes 7 irmãos) e decide abandonar o Curso Comercial para se registar nos quadros da fábrica. O seu primeiro ordenado rondou os 500 escudos (2,50 euros), tendo participado com os seus irmãos na fundação da Corticeira Amorim, da Ipocork e da Champcork.
Percorreu o Mundo com as suas amostras de cortiça, adaptando-se às realidades que ia encontrando, conhecendo novos mercados e limites e, aos poucos, a cortiça e o grupo Amorim iam amealhando reconhecimento e internacionalização pelas mãos de Américo. Em 1969, acabaria por se casar com Maria Fernanda Oliveira Ramos e por adquirir a totalidade da empresa em conjunto com os irmãos (até à data detinham apenas 20%). Com maior poder de decisão e novos planos de acção traçados, estavam criadas as condições para o crescimento e para a expansão do Grupo, até às proporções que conhecemos hoje em dia.
Depois de se ter tornado responsável da “holding” Corticeira Amorim, que supervisiona as empresas corticeiras, e por meio de uma outra “holding”, a Amorim Investimentos e Participações, Américo Amorim estende a sua influência às áreas da energia, do turismo e da banca. Teve participações de relevo no Banco Popular Espanhol (posteriormente vendido), na Galp Energia e foi um dos principais accionistas do Banco BIC.
No ramo corticeiro, o grupo Amorim é líder mundial, contando com 78 empresas, das quais 36% são unidades industriais de transformação, com produtos presentes em mais de 100 países. A família gere uma área florestal de mais de 12 mil hectares.

 

Leia mais na edição impressa do “Terras Notícias”